Racionalidade Moral e a Virada Linguístico-Literária (Literary Linguistic Turn): Repensando o caminho para a cooriginariedade entre direito e moral nas democracias contemporâneas

Autores

Palavras-chave:

Direito, Moral, Cooriginariedade, Racionalidade, Virada linguístico-literária, Democracia

Resumo

Sob uma abordagem lógico-dedutiva, o artigo analisa a construção da racionalidade moral desde os discursos do monismo e do pluralismo jurídico. Na manifestação do discurso jurídico contemporâneo, privilegia a contribuição da virada linguístico-literária, apostando, enfim, numa cooriginariedade entre o direito e a moral, voltada para a realização do homem em sua acepção mais ampla de dignidade, o homo humanus do direito, projeto do direito e da própria democracia.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Simões de Tomaz

 

Graduação em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (1983). Mestrado em Direito das Relações Internacionais pelo Centro Universitário de Brasília (2005). Doutorado em Direito na Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS/RS. Pós-doutorado em Filosofia do Direito pela Universidade de Coimbra/Portugal. 

 

 

Downloads

Publicado

2018-08-01

Como Citar

SIMÕES DE TOMAZ, C. A. Racionalidade Moral e a Virada Linguístico-Literária (Literary Linguistic Turn): Repensando o caminho para a cooriginariedade entre direito e moral nas democracias contemporâneas. Revista da Faculdade de Direito do Sul de Minas, [S. l.], v. 34, n. 2, 2018. Disponível em: https://revista.fdsm.edu.br/index.php/revistafdsm/article/view/252. Acesso em: 19 maio. 2024.