Um diálogo (im)possível: Niklas Luhmann e a modernidade / colonialidade

Autores

Palavras-chave:

Teoria dos sistemas, Ecologia dos saberes, Colonialidade

Resumo

O presente artigo reflete sobre a possibilidade de observação da discussão teórica acerca da modernidade/colonialidade. É necessário inquirir, em primeiro lugar, se a própria teoria sistêmica de observação da sociedade seria uma teoria do norte e, portanto, possível de realizar um diálogo com o Sul. Acredita-se que há um diálogo que nunca acaba entre Norte e Sul. Através de um método dialético, propõe-se a analisar um diálogo entre a teoria dos sistemas de Luhmann e a discussão modernidade/colonialidade. Esse diálogo metafórico mostram as contradições e os paradoxos como condições de possibilidade para a abertura do próprio pensamento luhmmaniano. O resultado é a descoberta de uma nova observação de um novo subsistema social: o subsistema do conhecimento ou do saber.

Biografia do Autor

José Ribas Vieira, USP

Doutor e Mestre em Direito pela UFRJ. Pós-Doutorado pela Université Montpellier I. Professor-Associado da PUC/RJ. Professor Titular da UFRJ. Presidente da Comissão Permanente de Direito Constitucional do Instituto dos Advogados Brasileiro – IAB. Pesquisador-Coordenador do OJB-UFRJ. E-mail: jribas@puc-rio.br. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7976161481295330.

Diogo Bacha e Silva, FSL

Doutor em Direito pela UFRJ. Mestre em Constitucionalismo e Democracia pela FDSM. Professor e Advogado, Membro do OJB-FND/UFRJ. E-mail: diogobacha@gmail.com. Lattes: http://lattes.cnpq.br/0134685542487401.

Downloads

Publicado

2021-10-21